As roupas desempenham um papel muito importante na sociedade desde os mais antigos tempos, para muito além de nos proteger do frio e outras forças naturais, elas servem para nos distinguir uns dos outros ou ainda para nos aproximar através de uma identidade. Um povo sempre é reconhecido também por aquilo que veste !

Aquilo que vestimos é mais do que pano costurado, é identidade e cultura e não é diferente entre os praticantes de nossa religião. Tenho muitos detalhes a falar sobre nossos trajes ritualístico e o farei em um futuro breve mas hoje falarei de algo que nos conecta enquanto comunidade e que está além dos nossos cargos e postos, a roupa branca.

A cor

O branco é muito presente nos mitos e folclore nas terras célticas, sendo associado ao Outro Mundo através da cor das roupas ou o brilho de personagens que aparecem a nós e a cor dos animais que são oriundos de lá. Através do brilho lunar podemos também designar ao branco um leque de possibilidades espirituais e misteriosas deixando tudo que toca com tons prateados, enfim a escuridão da noite deixa de ser tão profunda em noite de luar.

Drui de Andrey Shishkin

Também temos a cor associada aos Druidas que ainda seja ligeiramente romantizada ilustra bem o prestígio que teriam pessoas vestindo essa cor difícil de obter e quase impossível de manter no mundo antigo, a lavagem e manutenção de um tecido impecavelmente branco não era tarefa fácil portanto indicava grande dedicação. Branco também é a cor associada à primeira feda (letra) do Ogam mais popular, a Beith:

Beith (bétula) >>> Brán (branco)

A escolha

Definimos como nossa cor de identificação comunitária à partir de todo nosso saber a respeito dela, sua presença nos mitos e folclore, sua presença histórica e toda sua conexão com a luz irradiante, seja durante o dia através do sol ou à noite com a lua. É uma cor menos usada rotineiramente pela facilidade com que suja e o quanto pode ser difícil mantê-la limpa e por isso, pela sua menor presença e todo cuidado que necessita decidimos adotá-la em nossas práticas. Uma pessoa precisará dedicar seu tempo e atenção para cuidá-la, assim como deve fazer consigo e sua comunidade.

Vestimos branco em todas as atividades realizadas em nossa egrégora, seja em atividades comunitárias, presenciais ou não e naquelas domésticas praticadas onde o Oratório esteja servindo de âncora. O branco nos conecta coletiva e individualmente com o Outro Mundo e as Três Famílias e indica pertencimento à nossa comunidade.

Sua roupa deve ser lisa e sem estampas, completamente limpa e cuidada, sem máculas no tecido, pode ser de qualquer modelo sempre dando preferência pelo conforto e por aquilo que lhe deixa bem.

Perfil

Sacerdote Nathair Dorchadas
Sacerdote Nathair Dorchadas
Sacerdote Chefe na Ordem Walonom.

Sacerdote Nathair Dorchadas

Sacerdote Chefe na Ordem Walonom.

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Social Share Buttons and Icons powered by Ultimatelysocial